O único gaúcho que pode ser Tetra

O Grêmio deu um grande passo rumo à semifinal da Libertadores 2018. Nesta terça-feira (18), o time gaúcho fez 2 a 0 em cima do Atlético Tucumán-ARG e pode até perder por diferença mínima em Porto Alegre que estará outra vez entre os quatro melhores do continente. A vitória passou por esquema diferente, atuação de Alisson e também foi facilitada pela expulsão de Gervasio Nuñez ainda no primeiro tempo.

As baixas de Jael e André forçaram o Grêmio a adotar formação e postura distintas. Mesmo sem ter maior posse de bola que o Tucumán quando tinha 11 contra 11, o time gaúcho escapou da pressão inicial e saiu vitorioso. Alisson abriu o placar e Everton marcou o segundo.

 

Antes do intervalo, Nuñez pisou em Alisson e o VAR avisou Wilmar Roldán, que cancelou amarelo e deu cartão vermelho direto. Com um a mais em campo, o time de Renato Gaúcho controlou a partida e ampliou a vantagem.

Grêmio e Tucumán voltam a se enfrentar em 2 de outubro, na Arena. Com o gol qualificado, até mesmo uma derrota por 1 a 0 ou 2 a 1 em casa não tira classificação às semifinais.

O vencedor do duelo encara o ganhador do confronto entre Independiente e River Plate, que joga a partida de ida nesta quarta-feira (19), em Avellaneda.

O time de Renato Gaúcho entra em campo no domingo, às 11h (Brasília), contra o Ceará pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Quem decidiu: Alisson

Camisa 23 foi a grande surpresa do Grêmio. Sem Jael e André, lesionados, Renato adiantou Luan e montou esquema diferente. No 4-1-4-1, Alisson foi bastante explorado pela velocidade e deu boa resposta. Marcou o primeiro gol e deu assistência para Everton ampliar.

Tucumán pressiona muito no começo

Os primeiros 20 minutos foram de domínio do Tucumán e três boas chances de gol para o time da casa. Em duas delas, o Grêmio escapou pela falta de pontaria de Diaz e Acosta. A lista fecha com grande cobrança de falta que parou nas mãos de Marcelo Grohe. A pressão, depois, arrefeceu e passou a dar lugar a troca de golpes com o time gaúcho. Antes do intervalo, os donos da casa voltaram a apertar a defesa da equipe brasileira.

Grêmio aposta na bola longa

O 4-1-4-1 montado por Renato Gaúcho já dava sinais de uma estratégia bem específica por parte do Grêmio e o cenário se confirmou. Depois de resistir ao início elétrico do Tucumán, o time gaúcho investiu em bolas longas para ganhar metros de campo.

O tripé Maicon-Ramiro-Cícero enfrentou dificuldade para fechar espaços, mas depois encaixou a saída para transição ofensiva. O gol saiu com uso da velocidade extrema e com Cícero fazendo as vezes de pivô para desviar de cabeça e servir Alisson.

Expulsão abala Tucumán

Gervasio Nuñez foi expulso com auxílio do VAR e mudou o jogo. Ainda na etapa inicial, o Tucumán demonstrou nervosismo e a pressão foi se esvaindo. No segundo tempo, o Grêmio não se fechou e viu os donos da casa insistirem no começo.

A resposta verde e amarela foi com bola na rede em contra-ataque rápido e conclusão de Everton. A vantagem numérica permitiu a Geromel e companhia dosarem forças. Quase no final da partida, Everton perdeu o que seria o terceiro gol em San Miguel de Tucumán.

Maicon leva amarelo e ‘limpa ficha’

Único jogador do Grêmio pendurado, Maicon recebeu cartão amarelo no segundo tempo. A advertência foi recebida após Everton marcar o 2 a 0 e encaminhar a classificação. Com isso, o capitão do time está suspenso e não reencontra o Tucumán, mas garante presença em uma provável semifinal da Libertadores.

1 Comentário

  1. Emerson 21 de setembro de 2018 Reply

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *