A vitória da humildade contra a arrogância

Na noite desta quarta-feira, o Grêmio conquistou o bicampeonato do Gauchão em cima do Internacional. Fato que demonstra que nem mesmo a arbitragem, IVI pisará em cima do Tricolor, maior torcida do Sul do Brasil.

Lógico que o autor que vos fala, está muito feliz. Para os que me acompanham no Twitter, viram o tamanho da minha felicidade.

Ganhar Gauchão não é tão bom quanto vencer uma Copa do Brasil, Recopa ou Libertadores. Mas, vencer da vermelhagem, dá um absoluto sentimento de felicidade.

Estou com a alma inundada de alegria. Para quem me acompanha, sabe o quanto eu detesto e odeio o Inter. Sou um gremista e anti-colorado assumido.

Alguns fatos devem ser mostrados: A vitória da humildade contra a arrogância.

Venceu quem é mais humilde, que é no caso do Grêmio, seu treinador e seus jogadores, comissão e torcida.

A gentalha da torcida do Inter ficou dizendo que o Guerrero ia nos matar, que o Nico Lopez era melhor que Everton, que o Dourado (quem?) ia levantar a taça dentro da Arena e até que a zaga deles era melhor do que a nossa. E não é, nenhum pouco.

Mas, nada disso aconteceu. Primeiro porque somos melhores. Não somos nenhum dos timecos que eles enfrentaram na Libertadores. Não somos um River quebrado, ou um Palestino e Alianza Lima que nem sabem o que é vencer uma partida na Libertadores direito.

Somos o único Tricampeão da Libertadores no Rio Grande do Sul. Temos a melhor zaga das Américas nos últimos três anos.

Guerrero não jogou nada. Kannemann botou ele no bolso. Guerrero é moda, mas André é foda. Por mais que André tenha perdido o pênalti, mostrou que o verdadeiro centroavante dá a volta por cima.

Nico Lopez, o melhorzinho deles, não merece nem pisar no mesmo lugar que Éverton. O nosso atacante humilhou um monte de vezes o tal “Cuesta”, que, mais uma vez, pisa na Arena e treme as pernas.

Kannemann e Geromel, juntos, nunca perderam um GRE-nal. Já, Cuesta, joga de calça jeans molhada, só sabe jogar com a perna esquerda e a IVI e a vermelhagem tentam compará-lo ao melhor zagueiro argentino que o estado já viu: Kannemann. Isso, porque eles querem ter alma castelhana como nós. Mas o Inter não tem. Tomou dedo na cara do Renato e baixou a cabeça, ficou quieto. Já, Kannemann, enfia o dedo na cara dos jogadores do Inter.

O que eles tem por agora, são animadores de torcida. O que foi aquilo? Um jogador deles quase agrediu o árbitro. Sempre querendo apitar jogos, mas, jogar que é bom… Isso ele nem sabe. Ele levou drible do Geromel. Foi humilhado até pelo Cortez que é um dos piores jogadores nossos.

Esse aí sempre se promoveu porque fazendo show.

A torcida do Inter entrou em chilique porque o Renato botou um pé no gramado, mas eles tem um ídolo que agride colega de profissão, como o gringo deles fez no Luan.

E o Sóbis? O “ídolo” que já foi vaiado e disse que já teve prazer de vencer o Inter. É ”ídolo artificial”, como diria o Neto.

E, para piorar, me vem o Odair Maionese. Completamente desrespeitoso. Ele perdeu, tomou um totó do Grêmio e tentou apelar para a agressão física em cima dos nossos jogadores. Ele mesmo disse: “Vamos tentar jogar um pouquinho”.

Daí, fazem um pênalti de quinta série e elas ficaram enlouquecidas.

Sentem-se prejudicados por não serem favorecidos. Isso mostra como foram acostumados nos embates locais. Vão no conselho do Inter, lá está o presidente da federação.

Se os clubes usaram a violência como recurso para tentar equilibrar seus jogos contra o Grêmio (reconhecidamente com futebol envolvente e de posse de bola) é esperado que sejam punidos. Não obstante, o “raríssimas” tira a seriedade da afirmativa.

Os defensores que queriam André expulsos, por que não falam deste lance do Guerrero contra o Kannemann?

Berga-lago/aterro: Maior público com 50 mil VERMElhos (maior público da nova era é pra ver o Grêmio como adversário jogando lá). Resultado: Torcida do Grêmio canta, dá show e precisam ligar o som para abafar o canto da torcida Tricolor. JAMAIS COMPAREM!

Torcida do Inter coloca maior público do novo aterro e passam boa parte do tempo tentando provocar e xingar o Renato. Dirigente VERMElho vai aos microfones falar sobre o Inter, mas o seu assunto é: RENATO! Reinato é ídolo de todos no RS!

E, falando nisso… E o Dourado, hein? Jogou nada. Cada vez que pisa na Arena ele fica com medo. É como o Odair. Pisa na Arena e leva ferro. Nunca venceu um jogo de nós lá.

Matheus Henrique não merece nem respirar o mesmo ar que o tal Dourado.

GABRIEL: SEM JOGAR E LEVANTOU TAÇA DOURADO: JOGOU E CONTINUAMOS SABER QUEM É.

O único capitão que levanta taça neste estado, é Maicon. Esse joga mais que todos os volantes que tem no grupo do Inter.

O papai tá aqui. Grêmio campeão e a torcinha é cuzona.

Adicionar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *